As atividades presenciais do TRF3 estão sendo retomadas de maneira gradual. Para atendimento, faça agendamento por e-mail

Publicado em: 19/11/2020 19h23 – Atualizado em: 19/11/2020 19h25

Antes dele iniciar ou antes de ele iniciar?

Segundo a gramática normativa, o sujeito não deve ser preposicionado, ou seja, não deve estar “atrelado” a uma preposição. Isso porque a preposição é uma classe de palavras que introduz um termo da oração classificado como complemento.

Sabemos quesujeito é o termo da oração que indica a pessoa ou a coisa sobre a qual afirmamos ou negamos uma determinada ação, estado ou qualidade. O sujeito pode ter um complemento, mas ele não é o complemento. Assim, nafrase:

“A casa de Marcelo foi totalmente destruída.”

“A casa de Marcelo” é o sujeito. O núcleo desse sujeito, ou seja, sua parte essencial é “casa”; “de Marcelo” é complemento do sujeito, mas não é o sujeito em si.

No caso que confere título a este verbete, temos um sujeito (ele) que não deve, rigorosamente falando, ser introduzido por uma preposição. Logo, o correto é dizer:

“Antes de ele iniciar a vistoria, tomou todas as precauções, seguindo os protocolos adotados.”

Vejamos mais alguns casos:

“Apesar de o magistrado sempre ter votado contra a prisão em casos como aquele, desta vez ele decidiu de forma diferente, o que surpreendeu a todos.”

Nessa frase, “o magistrado” é sujeito e, por essa razão, não se usa a contração da preposição de com o artigo o.

“Já passou do tempo de as pessoas aceitarem e respeitarem a orientação sexual de seu semelhante.”

Os verbos “aceitarem” e “respeitarem” têm como sujeito “as pessoas”, por isso, não se contrai a preposição decom o artigoas.

“Vivemos em uma democracia. Assim, não vemos problema em as pessoas pensarem de modo diferente, desde que não interfiram na liberdade alheia.”

“As pessoas” é sujeito do verbo “pensarem” e, nessa condição, não se funde a preposição emao artigoas.

<s> </s>

“Os juristas celebraram a aprovação da nova lei e o fato de ela incluir todos aqueles casos que, antes, eram tidos como inconstitucionais.”

“Ela”, como vemos, é sujeito do verbo “incluir”, por isso não se funde com a preposiçãode.

Importante observarque, nos casos mencionados, o verbo sempre aparece no infinitivo. Logo, uma dica é prestar atenção a construçõesem que o verbo aparece nessa forma nominal e verificar se o sujeito é antecedido de preposição, para não contraí-los.

Há gramáticos que não condenam a contração do sujeito com a preposição, usada como um recurso estilístico para soarmais natural e eufônico. Esses estudiosos do nosso idioma consideram a forma preposicionada, empregada sobretudo na linguagem oral, uma variante linguística válida. Um exemplo bastante conhecido, citado pelo Professor Evanildo Bechara, é o deste provérbio:

“Está na hora da onça beber água.”

Muitas pessoas aglutinam o de ao a para soar mais natural, mais melódico.

De todo modo, esse mesmo provérbio pode ser pronunciado desta maneira:

“Está na hora de a onça beber água.”