Publicado em: 23/07/2020 19h42 – Atualizado em: 23/08/2021 14h27

Emprego da palavra MESMO

LEMBRE-SE:

EMPREGO DA PALAVRA “MESMO”

 

“Mesmo” é uma palavra que pode desempenhar diferentes funções em uma frase.

1)     Como pronome demonstrativo, “mesmo” é normalmente empregado como partícula de reforço, com o sentido de “próprio”, podendo variar em gênero e número, de acordo com o pronome ou substantivo a que se refere.

“Antigamente, eram as mães mesmas que ensinavam as primeiras letras a seus filhos.” (“as mães mesmas” = “as próprias mães”)

“Parece que a espécie humana, por si mesma, é incapaz de alcançar algo tão elementar como a harmonia entre os povos.” (“por si mesma”= “por si própria”)

2)     Por vezes, “mesmo” tem a função de advérbio, com o sentido de “até”, de “de fato”, ”realmente”, ou, ainda, “justamente”. Nesse caso, permanece invariável (isso porque advérbio é uma classe de palavra que não varia).

“Os manifestantes estavam tão exaltados que chegaram mesmo a pôr fogo em automóveis e a depredar imóveis.” (“chegaram mesmo” = “chegaram até”)

“Ao final da inspeção, os agentes concluíram que as provas tinham sido mesmo adulteradas.” (“tinham sido mesmo” = “tinham sido de fato”)

“O problema era este mesmo, o de saber quem entrou em contato com aquele paciente que está com covid-19.” (“o problema era este mesmo” = “o problema era justamente este”)

3)     A palavra “mesmo” pode, também, ser classificada como substantivo, com o significado de “coisa igual”.

“Aquela moça é tão teimosa que falar com ela é o mesmo que tentar convencer uma parede.”

“Quando vejo todos felizes, por que não consigo sentir o mesmo?”

4)     Há o uso de “mesmo” como palavra expletiva, com o objetivo de reforçar advérbios de tempo e de lugar.

“O juiz disse que publicará hoje mesmo sua decisão sobre soltar ou não o réu que está em prisão preventiva.”

“Nem é preciso mais sair do Brasil, pois aqui mesmo é possível comprar produtos de grifes internacionais nos shoppings de alto padrão.”

5)     Emprega-se “mesmo” em locuções concessivas. A concessão é uma forma de negação. Expressa-se um fato contrário ao exposto na oração principal, sem, contudo, anulá-lo completamente.

Mesmo que estivesse sob intensa pressão, o candidato conseguiria completar toda a prova e obteria um bom resultado.”

“Era visível que o vestido estava muito comprido. Mesmo assim, a modelo conseguiu desfilar como se nada houvesse de errado.”

6)  Por fim, existe a expressão “dar no mesmo” ou “dar na mesma”, usada quando duas situações levam a um resultado igual.

“Comparecer ou não à reunião dá na mesma, pois sabemos que seremos voto vencido.”

“Estamos bem atrasados. Tomar trem ou ônibus agora dá no mesmo.”

EMPREGO INADEQUADO DO PRONOME “MESMO”

ATENÇÃO: Diariamente, lemos estes dizeres nas placas dos elevadores:

“Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se parado neste andar.” (Lei Municipal 9502/97)

Esse é um exemplo de “mesmo” usado erroneamente, no caso para evitar a repetição da palavra “elevador”. É por essa razão que muitas pessoas usam os pronomes demonstrativos “mesmo”, “mesma”, no lugar dos pronomes pessoais “ele”, “ela”.

Devemos, portanto, evitar construções como estas:

1)     “Conversamos com a vítima, e a mesma confirmou o ocorrido.”

Nesse caso, no lugar de “a mesma”, o melhor é usar o pronome pessoal “ela” ou o pronome relativo “a qual”. Assim:

“Conversamos com a vítima, e ela confirmou o ocorrido.” OU: “Conversamos com a vítima, a qual confirmou o ocorrido.”

2)   “Um bom profissional de medicina deve estudar constantemente a anatomia humana, bem como todas as matérias que têm relação com a mesma.

Muito melhor é se expressar desta maneira:

“Um bom profissional de medicina deve estudar constantemente a anatomia humana como todas as matérias a ela relacionadas.”

3)   “Ela quer muito comprar aquela bolsa, mas, antes, precisa saber o preço da mesma.”

Podemos usar um pronome possessivo para evitar o emprego de “da mesma”:

“Ela quer muito comprar aquela bolsa, mas, antes, precisa saber o seu preço.”