Publicado em: 30/11/2020 17h01 – Atualizado em: 23/08/2021 14h27

Quando eu VER ou Quando eu VIR?

Devo dizer

Quando eu VER ou Quando eu VIR?

Às vezes, os falantes da nossa língua costumam equivocar-se quando empregam essa frase. Para não ter erro, é só não esquecer que o verbo ver, na frase acima, deve ser conjugado no futuro do subjuntivo, tempo verbal que indica a possibilidade/hipótese de uma ação ocorrer no futuro.

Em primeiro lugar, vamos recordar como se conjuga o verbo ver no futuro do subjuntivo:

                                            Quando/Se eu vir
                                            Quando/Se tu vires
                                            Quando/Se ele/ela você
vir
                                            Quando/Se nós virmos
                                            Quando/Se vós virdes
                                            Quando/Se eles/elas/vocês virem

Observe que a dúvida surge porque a forma do verbover, na 1.a e na 3.a pessoa do singular do futuro do subjuntivo, é igual ao infinitivo do verbo  vir.

Assim, o correto é dizer “quando eu  vir”, ou seja, quando eu “olhar”, “enxergar”, “notar”. Da mesma forma, não se deve jamais dizer “quando/se você ver”, e sim “quando/se você vir”.

Quando você vir Diogo, peça-lhe para que me ligue, pois preciso falar com ele.”

Se você vir a nova edição fac-similar de Os Lusíadas, ficará impressionada com a beleza da edição original.”

Aproveitando o ensejo, vamos recordar como se conjuga o verbo vir (deslocar-se de um local a outro, chegar a um local) no futuro do subjuntivo:

                                           Quando/Se eu vier
                                           Quando/Se tu vieres
                                           Quando/Se ele/ela você
vier
                                           Quando/Se nós viermos
                                           Quando/Se vós vierdes
                                           Quando/Se eles/elas/vocês vierem

Observe que, quando se trata do verbo vir, deve-se dizer “quando você vier”.

“Dia destes, quando você vier à nossa cidade, ficará impressionado com as mudanças geradas pelo novo projeto de urbanização.”

“Se ela vier pra cima de mim me acusando falsamente, vou procurar o setor de compliance da empresa. Ela que me aguarde!”

Uma dica: Para não ter erro, é só lembrar que, no futuro do subjuntivo, o radical do verbo ver passa a ser vir, e o radical do verbo vir torna-se vier. Lembre-se de que isso também ocorre com os derivados dos dois verbos.

Como saber se um verbo é derivado de ver?

Basta verificar se a 1.a pessoa do singular do presente do indicativo termina em
vejo, como, por exemplo, em rever (eu revejo) e prever (eu prevejo).

Como saber se um verbo é derivado de vir?

Basta verificar se a 1.a pessoa do singular do presente do indicativo termina em venho, como, por exemplo, em provir (eu provenho) e intervir (eu intervenho).

Outra particularidade que merece ser destacada é que a 1.a pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo do verbo ver é igual à 1.a pessoa do plural do presente do indicativo do verbo vir: ambos apresentam a forma  vimos. O que vai diferenciar se empregamos um ou outro verbo é o contexto.

“Nós vimos quando alguns parlamentares de grande influência no Congresso se declararam totalmente contra o novo projeto.” (verbo ver – pretérito perfeito do indicativo)

“Nós vimos aqui para oferecer nosso apoio a esta causa.” (verbo vir ─ presente do indicativo)