Publicado em: 17/07/2020 18h10 – Atualizado em: 23/08/2021 14h27

Se não

LEMBRE-SE:

Quando escrever

                                                               SE NÃO

Deve-se escrever “se não”, em duas palavras (conjunção + advérbio de negação) nestes casos:

1)     Quando o “se” é conjunção condicional, e “se não” tem o sentido equivalente a “caso não”.

Se não seguirmos à risca as restrições da quarentena, o governo deverá decretar lockdown.” (“se não seguirmos” = “caso não sigamos”)

“Não irei viajar, se não conseguir reserva para este fim de semana.” (“se não conseguir” = “caso não consiga”)

2)     Quando o “se” é conjunção condicional, e “se não” é empregadona acepção de “quando não”.

      “Fazer tantas coisas ao mesmo tempo parece tarefa difícil, se não
      
impossível.” (“se não impossível” = “quando não impossível”)

      “Uma ínfima minoria, se não ninguém, fez a lição que o professor havia
       solicitado na última aula.” (“se não ninguém” = “quando não ninguém”)

3)     Quando o “se” é conjunção integrante e introduz uma oração que funciona como objeto direto da oração principal, ou seja, uma oração subordinada objetiva direta. Nesse caso, podemos substituir a oração subordinada pelo demonstrativo “isto”, para verificar a sua função sintática.

      “As pessoas tendem a se perguntar se não teria sido melhor agir diferente
     
 em certas ocasiões.” (“As pessoas tendem a se perguntar o quê?” “As
       pessoas tendem a se perguntar isto.”)

       “A juíza queria saber se não haveria mais provas a serem juntadas ao
       
processo.” (“A juíza queria saber o quê?” “A juíza queria saber isto.”)

4)     Quando for possível substituir “se não” por “ou”.

       “Duas pessoas, se não três, manifestaram interesse pelo encontro.” (“se não
       
três” = “ou três”)

        “Cada apostador daquele bolão do Sorteio Especial ‘Mega da Virada’
         ganhou dois milhões, se não mais.” (“se não mais” = “ou mais”) 
5)  Na expressão “se não, vejamos”, tendo “se não” o sentido de “caso não
     
concorde”, “caso não esteja convencido”.

      “O exemplo mencionado pelo palestrante diz tudo, se não, vejamos os casos
      
práticos.” (“se não” = “caso não concorde”)

      “O acusado mostrou embaraço diante das evidências, se não, vejamos¼
     
(“se não” = “caso não esteja convencido”)

Os casos em que se usa “senão” serão tratados em outra oportunidade.