TRF3SPMSJEF

Acessibilidade

alto contraste
Transparência e Prestação de contas
Intranet - Acesso Restrito
Menu
InternetEscola de Magistrados#EMAGConectaConexãoEMAG - Língua PortuguesaColocação pronominal (III): mesóclise e ênclise

Colocação pronominal (III): mesóclise e ênclise

LEMBRE-SE:

COLOCAÇÃO PRONOMINAL (III): MESÓCLISE e ÊNCLISE

O emprego da mesóclise, ou seja, do pronome no “meio” do verbo, ocorre somente quando o verbo é conjugado no futuro do presente ou no futuro do pretérito, como vimos no primeiro verbete de colocação pronominal.
Dir-me-ão todos os aqui presentes se em algum momento eu deixar de cumprir com minhas obrigações.
Ser-nos-ia agradável passar o dia aqui, se não tivéssemos ainda tanto trabalho a fazer!”
Se houver uma palavra atrativa, deve-se empregar a próclise.
Sempre me dirão todos os aqui presentes se em algum momento eu deixar de cumprir com minhas obrigações.”
Não nos seria agradável passar o dia aqui, se não tivéssemos ainda tanto trabalho a fazer!”

Vejamos agora os casos em que se deve empregar a ênclise, ou seja, o pronome depois do verbo:

1) Em períodos iniciados por verbo (que não esteja no futuro do presente ou no futuro do pretérito). Isso porque, como já vimos, na norma culta não se inicia frase com pronome oblíquo.
Corre-me um calafrio por todo o corpo, sempre que ouço aquela vinheta do plantão da Globo.”
Diga-nos se ele realmente confirmou a presença no evento.”
O início de períodos com pronomes oblíquos é próprio da língua falada, registro informal, ou da língua escrita, quando se deseja reproduzir a fala coloquial, como um recurso de estilo.

2) Em orações reduzidas de gerúndio, se não houver nenhuma palavra atrativa.
“Todos foram entrando na sala, ocupando-se de seus afazeres.”
“Quando chegamos em casa, vamos logo lavando as mãos, desvencilhando-nos da sujeira e das más energias
da rua.”
Se o gerúndio vier precedido da partícula expletiva em, ou de algum advérbio, deve-se usar a próclise.
Não as encontrando no local e hora marcados, volte. Certamente, não virão.”
Em se tratando de um caso excepcional, o melhor é que prevaleça o bom senso, não é verdade?”

3) Em orações imperativas afirmativas.
“No caso de reinfecção viral, procure um médico e peça-lhe uma orientação de como proceder.”
Vai-te embora, antes que comece a chover! Tu bem sabes que esta área é sujeita a inundações.”

4) Quando houver infinitivo não flexionado, precedido da preposição a, nos casos em que se empregarem os pronomes o, a, os, as.
“Ele começou aescutá-lo de um jeito diferente, encantado por sua voz.”
“Todos, sem exceção, começaram aatacá-las apenas pelo fato de estarem se posicionando de modo mais incisivo, ao exporem suas opiniões.”

Se o infinitivo, precedido de preposição, for flexionado, a próclise é necessária.
“Eles foram criticados por se despirem em público, mas tudo fazia parte de uma performance teatral.”
“O delegado intimou a nos apresentarmos na delegacia quanto antes, para prestarmos esclarecimentos.”

Para concluir, vamos mais uma vez reforçar que, na ausência de partícula atrativa, a colocação pronominal é livre. Pode-se optar por uma em especial em razão do estilo, da preferência.

Verbo auxiliar + gerúndio
“Vim me arrastando.”
“Vim arrastando-me.”
“As nuvens foram se dissipando.”
“As nuvens foram dissipando-se.”
“As nuvens se foram dissipando.”

Verbo auxiliar + preposição + infinitivo
“Há de se conformar.”
“Há de conformar-se.”
“Como cortou relações comigo, deixei de lhe escrever.”
“Como cortou relações comigo, deixei de escrever-lhe.”

Assim, encerramos nossa abordagem ao tópico colocação pronominal. Sempre há algo a aprender sobre esse tema. Há muitas regras, bem sabemos, mas elas serão mais facilmente assimiláveis à medida que fizermos uso dos pronomes e consultarmos as normas gramaticais, quando tivermos dúvida.

Publicado em 01/07/2021 às 15h03 e atualizado em 16/02/2022 às 16h25