TRF3SPMSJEF

Acessibilidade

alto contraste
Transparência e Prestação de contas
Intranet - Acesso Restrito
Menu
InternetEscola de Magistrados#EMAGConectaConexãoEMAG - Língua PortuguesaEmprego do hífen (II)

Emprego do hífen (II)

LEMBRE-SE:

OUTROS EMPREGOS DO HÍFEN

Dando continuidade ao estudo do emprego do hífen, iniciado na publicação anterior, veremos a seguir mais alguns casos.

1) Prefixo + palavra iniciada por H

Nesse caso, deve-se empregar o hífen: anti-hemorrágico, anti-higiênico, extra-hospitalar, para-história, pré-história, sobre-humano, super-herói, super-homem.

2) Prefixo SUB + palavra iniciada por H, B  ou  R

O último Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa tornou facultativo o uso do hífen quando o prefixo subé seguido de palavras iniciadas por h. Por exemplo, o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa registra duas grafias destas palavras: subepático e sub-hepático, subumanidade e sub-humanidade, subumano e sub-humano. Em uma grafia, suprime-se o -h inicial do segundo termo, aglutinando-se o prefixo com a segunda palavra. Na outra grafia registrada pelo VOLP, o -h é mantido e se une ao segundo termo com o uso do hífen.

Nos demais casos, não houve alteração na regra. Se o prefixo sub for seguido de uma palavra iniciada por b ou r, deve-se empregar o hífen. Assim, escrevemos: sub-base, sub-biotípico, sub-regimento, sub-região, sub-reino, sub-reitor, sub-rogar, sub-rotina.

Diante de palavras começadas por qualquer letra diferente de h, b ou r, o prefixo sub não requer hífen: subaquático, subemprego, subprefeitura, subsolo, subsecretário.

3) Prefixo SUPRA+ palavra iniciada por A  ou  H

Nesse caso, emprega-se o hífen: supra-atmosférico, supra-hepático (só para lembrar, se esse prefixo for seguido de palavra iniciada por r ou s, duplica-se a consoante do segundo termo: suprarrenal, suprassensível).

4) Consoantes iguais

Nos casos em que o prefixo termina pela mesma consoante que inicia a segunda palavra, emprega-se hífen: hiper-resistente, inter-racial, inter-regional, inter-relação, super-realista, super-reativo, super-romântico.

No entanto, se as consoantes não forem iguais, não se utiliza o hífen: hipermercado, intermunicipal, superproteção.

Também não se usa o hífen se o prefixoterminar em consoante e o segundo termo começar com vogal: hiperativo,hiperirritado, interagente, interamericano, interestadual, superexigente, superinteressante.

5) BEM e MAL

O uso de bem como prefixo exige hífen antes de palavras que têm vida autônoma ou quando houver exigência de pronúncia: bem-acabado, bem-amado,bem-casado, bem-criado, bem-estar, bem-humorado, bem-nascido, bem-vindo, bem-aventurado (se escrevêssemosbemaventurado, poderíamos ler be-ma-ven-tu-ra-do).

Com o uso da palavra mal, como prefixo e não como adjetivo, deve-se usar hífen antes de vogal e h, além de palavras compostas que remetem a um significado específico: mal-acondicionado, mal-assimilado, mal-assombrado, mal-encarado, mal-entendido, mal-humorado, mal-francês (sífilis), mal-triste (anemia parasitária bovina).

Nos demais casos, escreve-se sem hífen:malcomportado, malconceituado,  malcriado, malcuidado, malfeito, malformado, malmequer.

Até agora, deu para ver que o uso desse traço tão discreto tem uma série de detalhes que devem ser levados em consideração, não é? O assunto ainda não se esgotou, temos mais conteúdo para abordar futuramente.

Publicado em 10/02/2021 às 12h36 e atualizado em 16/02/2022 às 16h25