TRF3SPMSJEF

Acessibilidade

alto contraste
Transparência e Prestação de contas
Intranet - Acesso Restrito
Menu
InternetEscola de Magistrados#EMAGConectaConexãoEMAG - Língua PortuguesaCrase (II)

Crase (II)

LEMBRE-SE:

Quando empregar

CRASE (II)

Como vimos na publicação anterior, as regras de crase obedecem a uma lógica casuística e por isso devem ser observadas caso a caso. Dando sequência ao nosso estudo, vamos apresentar mais algumas normas sobre o emprego do acento grave indicativo de crase.

1) O pronome demonstrativo aquele e suas variações (aquela, aqueles, aquelas) receberão acento grave no a inicial sempre que houver um verbo ou nome que peça a preposição a.
“Consegui chegaràquela farmácia antes do fim do expediente.” (chegar  a aquela farmácia)
“Não me refiroàquilo que você disse, mas àquilo que sua esposa afirmou naquela noite.” (não me refiro a aquilo...)
Diga àqueles que ficaram na lista de espera que seus nomes serão incluídos na próxima chamada.” (diga a aqueles)
“É melhor dizermosàquelas moças que todos nós reconhecemos o quanto elas se esforçaram para atingir o objetivo proposto.” (dizermos a aquelas moças)

O pronome demonstrativo aquela (aquelas) pode vir representado por a ou as, que também são pronomes demonstrativos e podem levar o acento grave.
“Suas impressões acerca do novo romance de Raduan Nassar são parecidas às que eu mesmo tive, sinal de que ambos gostamos muito desse livro.”
“Você está vestindo uma blusa igual à que eu comprei naquela liquidação.”

2) Sempre ocorrerá crase quando houver a indicação de horas, desde que sejam determinadas, precisas.
“Os shows sempre começam às10 horas e não têm hora para acabar.”
À zero hora deste domingo, começam a valer os novos valores das passagens de ônibus.”
À meia-noite e quinze, ele entrou em casa, sem falar nada.”

Se as horas forem indeterminadas, não haverá crase.
“Ele chegará aqui a uma hora qualquer, pois não tem compromisso com nada, nem com ninguém.”
A uma hora dessas, Mônica já deve estar bem longe, pois ela pisa fundo no acelerador.”

3) Há crase nas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas que se iniciam com palavras femininas como, por exemplo: à cata de, à custa de, à força de, à medida que, à mercê de, à noite, à proporção que, às pressas, às vezes, etc.
“Há jornalistas cujo trabalho é ficar à cata de toda e qualquer informação que possa servir de base para uma matéria.”
“Ele é mesmo muito folgado! Está sem trabalhar há meses, vivendo àcusta de familiares.”
“Nossa impressão é de que estamos todos à mercê de autoridades pouco preocupadas com as necessidades da maioria. Isso é desolador, não acham?”
“Aquela mulher sempre foi muito esforçada, trabalhando o dia inteiro e estudando à noite. Hoje, ela colhe os frutos de tanto empenho.”
À proporção que a chuva aumenta, elevam-se os riscos de enchentes nas áreas mais planas da cidade.”

Uma dica

Anteriormente, já demos duas dicas, uma mais genérica e outra relativa a nomes geográficos, de como saber se cabe, ou não, o uso do acento grave. Veja mais esta, também bastante abrangente.

Caso seja possível substituir o a em questão pela combinação de uma preposição qualquer mais artigo, sabe-se que esse a deve receber o acento grave. Assim, vejamos os exemplos:
“Oferecemos flores às homenageadas da noite.” (oferecemos flores para as homenageadas)
“Passeios à noite são permitidos, desde que acompanhados por um monitor.” (passeios durante a noite)
À falta de coisa melhor para fazer, aconselho que durmam, pois, assim, vocês não se metem em confusão.” (pela [per + a] falta de coisa melhor)

Por hoje, encerramos nossa abordagem de casos em que se observa a ocorrência de crase. Voltaremos com mais exemplos na próxima edição. Até lá!

Publicado em 05/08/2021 às 14h47 e atualizado em 16/02/2022 às 16h25