TRF3SPMSJEF

Acessibilidade

alto contraste
Transparência e Prestação de contas
Intranet - Acesso Restrito
Menu
InternetEscola de Magistrados#EMAGConectaConexãoEMAG - Língua PortuguesaConcordância nominal (IV)

Concordância nominal (IV)

LEMBRE-SE:

CONCORDÂNCIA NOMINAL (IV)

Dando sequência ao nosso estudo, vamos ver mais algumas particularidades da concordância nominal.

É BOM – É NECESSÁRIO – É PERMITIDO – É PRECISO – É PROIBIDO
Essas expressões, entre outras do gênero, ficam invariáveis quando seguidas de substantivo que expressa ideia genérica, ou seja, quando o substantivo não é determinado.

“Água na quantidade certa é bom para evitar a formação de cálculos renais.”
É necessário paciência de Jó para dar aulas no Ensino Fundamental II.”
“Não é permitido passagem de pedestres naquela ponte, pois ela está interditada.”
É preciso muita determinação para seguir a carreira artística.”
É proibido entrada de pessoas sem autorização prévia.” 

Se ocorrer a determinação do substantivo, deve haver a concordância do adjetivo.
Esta água aromatizada é boa para matar a sede e tapear a fome.”
É necessária uma paciência de Jó para dar aulas no Ensino Fundamental II.”
“Não é permitida a passagem de pedestres naquela ponte, pois ela está interditada.”
É precisa a permanência mínima de duas horas. Antes disso, nenhum candidato pode sair do local de prova.”
É proibida a entrada de pessoas sem autorização prévia.”

Empregados como adjetivos, estes termos não sofrem nenhum tipo de variação:
BOMBA: revelaçõesbomba –
 CASSETE:fitascassete – 
FANTASMA:empresasfantasma MONSTRO: acumulaçõesmonstro PADRÃO: desviospadrão PSEUDOpseudo-sabedoria;  pseudo-irregularidades – PIRATA: edições pirata RELÂMPAGO: sequestros relâmpagoSALVO/TIRANTE/EXCETO: “Todos devem ser vacinados, salvo (tirante, exceto) as crianças.” – SURPRESA: festas surpresa

Também não devem ser flexionados os adjetivos que são empregados como advérbios.
“As empresas farmacêuticas investem alto em novos produtos, embora corram o risco de ganharem pouco, caso o medicamento não seja aprovado pelas agências reguladoras.”
“A matéria atrasou porque a jornalista transcreveu errado as falas dos entrevistados.”

NENHUM
Esse pronome indefinido varia conforme o gênero e o número do substantivo a que se refere.
“Não conheço nenhuma pessoa que fale húngaro, você conhece?”

Se estiverem antes de um substantivo no plural, nenhum/nenhuma precisam ir para o plural também. Trata-se de um uso raro no português falado no Brasil, mas bastante comum em Portugal.
Nenhuns bandidos apareciam por aqui, mas estou com medo de me aproximar daquele grupo de homens, só pelo jeito que eles nos olham.”

Já que estamos falando de nenhum, cabe aqui estabelecer a diferença com nem um. Enquanto nenhum é termo que generaliza a negação, nem um tem sentido quantitativo, refere-se à unidade.
“Não tenho nenhum vaso de cristal Baccarat.”
“Não tenho nem um vaso de cristal Baccarat, quanto mais dois.”

TODO
Quando empregado como advérbio, todo pode ter concordância atrativa. Já a concordância gramatical é própria da norma culta.
“Com a forte chuva de ontem à noite, as ruas ficaram todas alagadas.” (concordância atrativa)
“Com a forte chuva de ontem à noite, as ruas ficaram todo alagadas.” (norma culta)

Terminamos mais um capítulo desta nossa série sobre concordância nominal. Como o tema é vasto, ainda temos mais o que abordar. Até a próxima!

Publicado em 20/05/2021 às 15h07 e atualizado em 16/02/2022 às 16h25